Diferenças entre Letras de Crédito e Certificados de Recebíveis

0 35

Saiba o que são, a diferença entre Letras de Crédito e Certificados de Recebíveis, vantagens, desvantagens e como se beneficiar de ambos.

Você já deve ter ouvido falar sobre esses dois tipos de investimentos, as Letras de Crédito e os Certificados de Recebíveis. Mas você sabe o que são, a finalidade e as diferenças entre eles? Nesse artigo iremos falar em mais detalhes sobre esses ativos.

O que são?

São títulos de renda fixa, compostos por empréstimos ao setor do agronegócio (LCA/CRA) ou imobiliário (LCI/CRI). Ou seja, essas aplicações tem como lastro os financiamento nela contidos.

O objetivo é captar dinheiro dos investidores através das instituições e repassá-lo às empresas de cada setor, para financiamento de suas operações.

As taxas pagas por essas aplicações podem ser pré ou pós-fixadas e, variam de acordo com cada título e emissor.

Letras de Crédito

Emitidos por instituições financeiras, são utilizados para captação de recursos que serão emprestados as empresas participantes.

Ao realizar uma aplicação em uma LCA (Letras de Crédito do Agronegócio), o banco repassa os fundos levantados a um agente do agronegócio. E, na LCI (Letras de Crédito Imobiliário), um agente do mercado imobiliário é receber do dinheiro.

Os bancos, por exemplo, levantam o capital com os investidores para poder emprestar aos agentes. Portanto, você está emprestando o dinheiro ao banco com a finalidade de investir em determinado setor.

Certificados de Recebíveis

Diferentemente das Letras, esses títulos são emitidos exclusivamente por securitizadoras, que reúnem os recebíveis de financiamentos entre agentes e terceiros.

As securitizadoras transformam os ativos em valores mobiliários para que possam ser comercializados livremente no mercado de capitais. Vale lembrar, que esses ativos são segregados do patrimônio da emissora.

Diferenças

As Letras diferem dos Certificados principalmente pelo risco, as primeiras são garantidas pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), enquanto as segundas não. Esse fator é importantíssimo para análise de exposição de sua carteira de ativos.

Todos os títulos estão isentos de IR (Imposto de Renda) para pessoa física. Os CRA/CRI e a LCA estão isentos de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

As LCA/LCI podem ser resgatadas diretamente com os emissores, após o período de carência. Já para os CRA/CRI, é preciso ir ao Mercado Secundário, ou seja, outro investidor deve estar interessado na compra desses títulos.

Conclusão

O investimento nesses títulos é uma boa opção para diversificação em renda fixa. Pois os rendimentos, em muitos casos ultrapassam outras aplicações de renda fixa que possuem incidência de IR.

Porém, não cometa o erro de comparar apenas rendimentos na escolha de ativos. Uma análise considerando o perfil do investidor e os riscos de cada opção devem ser feitas para uma melhor decisão.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.